Alavancagem no Mercado de Ações

É arriscadíssimo e podemos dividir em três:

Compra a Descoberto, Venda a Descoberto e Mercado a Termo.

 

Compra Descoberta

Você compra sem ter dinheiro. Significa ficar 100% alavancado.

Ex.: irá acontecer o IPO das lojas Marisa – MARI3 e você não têm dinheiro, mas quer fazer uma reserva de ações.

Mesmo sem ter dinheiro você vai lá e reserva R$ 10.000. Sempre que é feita uma reserva, assina-se um termo de compromisso se submetendo a ter o dinheiro na conta no dia da liquidação. Ela se dá em D+2.

Acontece o seguinte, a ação começa a ser negociada 2 dias antes da liquidação, sendo assim, você pode vendê-la no 1º dia de negociação.

Agora com números:

Ex.:

Reserva de R$ 10.000

Início de negociação da ação na Bolsa 22/10/12

Data liquidação: 24/10/12

1º dia de negociação a ação sobe 2% e você imediatamente vende.

No dia 24/10/07 sua conta será debitada em R$ 10.000 e no dia 25/10/12 Creditada em R$ 10.200. Não estou considerando os custos envolvidos na operação.

Ganhou R$ 200,00 na boa... mas também terá que pagar 1 dia de juros  pela conta negativa.

 

Todas as liquidações na Bolsa se dão em D+3. Ou seja, se vendo hoje, minha conta é creditada no 3º dia. Se compro hoje, o débito ocorre em três dias salve algumas exceções. Somente em IPO’s a liquidação se dá em D+2. Por isso terei pagar 1 dia de juros.

O risco é o seguinte, se de repente o valor da ação cair 5% no 1º dia e sua reserva foi de R$ 10.000,00, sinto muito, você está obrigado a vender no prejuízo. Vai assumir o prejuízo de R$ 500,00 sem ter muito que fazer.

Quer saber, quem fez isso com os BDR’s da Agrenco – AGEN11 quando ela entrou no Brasil levou um prejuízo de 15% no 1º dia.

Quem faz isso é conhecido como  Flipper.

 

Flippers são investidores que adquirem ações de companhias que estão fazendo IPO (abertura de capital) para vendê-las no primeiro dia de negociação. Em mercados com forte tendência de alta, é comum que as ações subam de forma expressiva na sua estréia - é com isso que contam os flippers. O perigo é que nem todas as estréias são bem-sucedidas. 

Fonte:Wikpédia

 

Não necessariamente um Flipper não tem dinheiro na conta. Na verdade esse tipo de operação é uma loteria e é feita com stops bem curtos. Por menor que seja o percentual de variação tanto para cima como para baixo Flipper já efetua sua venda independente das perspectivas da empresa no longo prazo. 

 

 Venda Descoberta

Nessa operação você pode perder a família, os amigos, a casa, o carro e até a alma.

Não, não é um exagero. É muito utilizada no mercado de Opções, traz ganhos significativos e perdas fenomenalmente significativas caso você não tenha estruturado perfeitamente sua operação.

Exemplo prático no dia a dia de uma compra descoberta:

Você está precisando de dinheiro e vê um amigo seu vendendo um Fiat Uno por R$ 10.000,00.

Você, como é entendido de carros, sabe que está barato e pensa: - Vou colocar esse carro a venda por R$ 12.000,00.

Aqui é o seguinte, você não tem o carro e está vendendo. Se de repente aparece um comprador para sua oferta, você pega os R$ 12.000,00, vai até seu amigo, compra por R$ 10.000,00 e tira os R$ 2.000,00 de lucro sem fazer qualquer esforço.

 

Onde está o risco?

Veja só!

Vai que você vende o carro, pega os R$ 12.000,00 e quando vai comprar o carro do seu amigo, a anta acaba batendo.

Legal! Agora você vai ter que ir a Mercado atrás de um Uno por R$ 12.000,00 ou menos já que você se comprometeu a entregar o carro ao comprador e ainda por cima já recebeu o dinheiro antecipado.

 

Acontece que você procura, procura, procura e não acha esse bendito Uno por menos de R$ 20.000,00. Como você está obrigado a entregar o carro pro fulano, atém de perder seu suposto ganho, vai arcar com um prejuízo de R$ 8.000,00.

Imagina você fazendo isso com uma ação.

 

Ex.: Não tenho dinheiro na conta e muitas menos algumas ações. Decido dar uma alavancada vendendo descoberto, pois pelas minhas análises o mercado está preste a despencar e eu tenho uma margem com minha corretora.

Vendo 500 ações da Vale a R$ 50,00 com o intuito de comprá-las por um preço mais baixo.

No exato momento que você fez essa operação, de repente sai o anúncio de que o Brasil conseguiu o Grau de Investimento e o preço da ação dispara para R$ 60,00. Você está obrigado a comprá-las por um preço muito mais alto do que vendeu. Entendeu?

Foi querer dar uma de malandro e se ferrou.

 

Mercado a termo

Pra começar, terá que ter sua própria carteira de ações como lastro. Ela será sua garantia de que você tem como honrar esse financiamento. 

Mas por que? Ué! Se você tem dinheiro não tem motivo tomar um empréstimo de ações. Se não tem nada, nem dinheiro e nem ações, nem se atreva a tomar esse empréstimo descoberto.

Imagine o seguinte, de repente ocorre uma tremenda queda na bolsa e você se pergunta: Como posso tirar proveito disso sem ter dinheiro sobrando e ainda por cima “comprado” até meu último centavo?

 

Entenda: comprado nada mais é do que ter todo seu dinheiro aplicado em uma carteira de ações.

Para tirar proveito disso, poderá fazer uma operação a Termo.

 

No que consiste?

Você liga na corretora e fala que quer fazer uma operação a Termo, a corretora irá te dar as características do Termo para que você possa avaliar. Após negociarem as condições eles te emprestam as ações por um período que pode variar de 30 dias até 36 meses. Não existe um prazo específico. Isso você tem que acordar com a corretora no momento que for fechar o Termo. Para este empréstimo de Ações, você tem que pagar os juros que são baixos, varia de 0,4% 0,8% já que é pouco provável que haja um calote por conta do tomador do empréstimo.

 

Quando você faz um Termo, existe um período de carência para que venda as ações. Este período chega há três dias. É o tempo para que sua operação seja registrada e as ações estejam disponíveis para você negociar. Passado este período você pode vender e encerrar sua posição imediatamente. Depois da venda, a operação é encerrada.

 

Feito isso, você tem algumas opções até a data de vencimento:

a) poderá ficar com as ações que pegou emprestado

b) vende as ações em algum momento oportuno e fica com lucro/prejuízo. 

c) faz a rolagem do Termo por mais alguns meses, sendo que as ações são vendidas no dia do vencimento e recompradas a preço de mercado naquele momento com acréscimo de novos juros pelo novo período de Termo.

 

O risco é das ações caírem de preço no período do termo. Com isso você não conseguirá zerar sua posição vendendo com lucro e ficará amargando por muito tempo caso elas não subam.

Dificilmente isto ocorre, mas é possível. Se caírem você leva um prejuízo significativo já que, ficar rolando a operação para vencimentos mais longos acaba tornando a operação mais e mais cara.

As corretoras geralmente têm uma carteira com as ações que elas fazem o Termo. Carteira somente com Blue Chips, pois sabem que não é aconselhável fazer Termo com ações de 3ª linha por exemplo.

 

Por que usar este mercado?

a) vender as ações e realizar o lucro sem usar seu dinheiro.

Apenas lembre-se que o lastro é sua carteira de ações que ficam imobilizadas como garantia até o fim do Termo. Motivo pelo qual o financiador não leva calote, e com isso tornando os juros baixos. Suas ações que estão como garantia não podem ser negociadas no período do termo.

b) comprar ações por um preço que você considera baixo em um período que você está sem dinheiro.

As ações estão com um preço bem atrativo e você pretende comprá-las num futuro próximo. Assim, você mesmo sem dinheiro garante a compra das ações por um preço baixo e ainda pagando juros baixos.

 

Uma coisa importante é que no período do Termo todos os proventos das ações são seus. Entenda-se dividendos, juros sobre capital próprio, bonificações e etc.

Essa é a diferença básica do Aluguel de Ações já que, quando você aluga, todos os proventos são do dono efetivo da ação. 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!